Advento e Natal PDF Imprimir E-mail

ADVENTO E NATAL

_Pe._Eugenio_SORRINDOEscrito por Padre Eugenio Maria La Barbera – fundador da Fraternidade Monástica dos Discípulos de Jesus , fmdj

 

Para cumprir a missão de "espalhar a fragrância do conhecimento de Cristo em todo o mundo" (2 Cor 2,14), a Igreja dividiu o ano em partes - chamados tempos litúrgicos - cada um dos quais tem como ponto de referência uma grande festa.

O ano é, assim, marcado por uma sucessão de festas que se destinam a fazer-nos contemplar, um por um, todos os aspectos do mistério de Cristo "da Encarnação e Nascimento até à Ascensão, Pentecostes e na espera da beata esperança da vinda do Senhor". (SC 102-SC = CONSTITUIÇÃO CONCILIAR SACROSANCTUM CONCILIUM SOBRE A SAGRADA LITURGIA).

     Natal e Advento Advento_TEMPO_DE_ESPERA

 

     O ano civil começa em 1° de janeiro; mas a liturgia segue um calendário diferente, e faz    começar o ano com o primeiro domingo do Advento. Parece lógico, de fato, que os    acontecimentos da vida de uma pessoa são apresentados a partir do dia de seu nascimento.

       

       Mas não foi assim desde o princípio da Igreja. No primeiro século, os cristãos não tinham outra festa além da celebração    semanal da ressurreição do Senhor. O primeiro dia da semana - na era de Constantino era chamado o dia do sol e era  dia de trabalho – nessa época costumavam se reunir para ouvir a Palavra de Deus, para celebrar a Eucaristia e para juntos consumir uma refeição. Em seguida, todos voltavam para suas casas, cumprimentando-se para se encontrar novamente no domingo seguinte.

               Não demorou muito a Igreja sentiu a necessidade de dedicar um dia do ano à comemoração dos acontecimentos que culminavam na vida de Jesus: por isso a Igreja instituiu a Páscoa. Na metade do segundo século esta festa já estava difundida em todas as comunidades cristãs- mas apenas um dia para celebrar a ressurreição de Cristo parecia pouco- então a Igreja prolongou a alegria desta festa por sete semanas –   cinquenta dias- A Festa  de Pentecostes.

A celebração do Natal entra no calendário cristão muito mais tarde. Em 354 - depois de Cristo - foi fixada a data de 25 de dezembro para comemorar o nascimento de Jesus.            Obviamente, não foi encontrada nenhuma certidão de nascimento em Belém ou em Nazaré – não sabemos o dia nem o ano exato em que Jesus nasceu - a escolha foi feita porque em 25 de dezembro era celebrada em Roma a festa do solstício de inverno e a primavera se aproximava .  Uma festa caraterizada pela alegria porque o sol estava começando a brilhar novamente com todo o seu calor.

E foi assim que os cristãos, mudaram nome e significado à celebração do sol. Eles disseram que Jesus é o sol "que veio visitar-nos, para iluminar os que jazem nas trevas e na sombra da morte" (Lc 1:79); Ele é "a luz verdadeira que ilumina todo homem" (Jo 1,9) e "a estrela brilhante da manhã" (Apocalipse 22:16).

Por volta do ano 600 – depois de Cristo- os cristãos acharam por bem que as celebrações do Natal deveriam ser precedidas por um tempo de preparação. Assim nasceu o Advento – um tempo de espera – celebrado em 4 domingos antes do Natal onde também inicia o ano litúrgico com o primeiro desses domingos e que pode ser  no final de novembro ou início de dezembro - logo depois da Festa de Cristo Rei

 E o que significa Advento?

Com essas palavras, os pagãos indicavam a vinda de seu deus. Em um determinado dia do ano, eles exibiam para a adoração do povo a estátua de um deus, convencido de que ele se teria feito presente no meio dos seus fiéis, pronto para distribuir suas bênçãos e conceder seus favores.

A palavra Advento foi também referida à visita de um rei em uma cidade, ou no dia da coroação do rei.

Os cristãos aplicaram todos esses significados para a vinda de   Jesus – o filho de Deus , todavia reservaram o termo Advento ao período dedicado à preparação desta visita  até o nascimento de Jesus.

Alguém pode perguntar..., mas Jesus já não veio? Porque, então, preparar-se novamente ?  Pense...

Podemos esperar um amigo e não o encontrar. Isso acontece quando erramos a hora e o local do compromisso.

Isso acontece também com Deus. Ele já veio muitas vezes na história do homem e mostrou o lugar onde Ele pode ser encontrado, mas talvez não o entendemos bem, porque nós  o esperamos aonde muitas vezes Ele não vem.

Mostro alguns lugares onde nós o esperamos: gostaríamos que viesse na doença para nos dar saúde; nas dificuldades econômicas para resolvê-la com um golpe de sorte; nos momentos de solidão para  conhecer uma pessoa com a qual possa ter um relacionamento; no fracasso para ajudar a reemergir e triunfar; na injustiça para fazer valer os nossos direitos; na velhice para doar-nos um pouco de vigor e do frescor da juventude ... Nós oramos intensamente a Deus  para envolvê-lo em nossos planos; pedimos que não falte em nossos compromissos desejados, e não atendidos em nossas vontades desistimos de Deus e de SEU FILHO JESUS.Jesus também se revela na cruz!

Preste atenção nessa história ...

Em Birkenau, no dia de Natal, um grupo de mulheres foram levadas para a câmara de gás. Elas tentaram escapar, mas foram massacradas sem piedade. Na frente desta cena, o filho de um rabino gritou: "Deus mostrar-lhes o seu poder; tudo isso está contra você". Nada aconteceu. E o garoto exclamou então: "Deus não existe".

Deus nunca vem para adaptar-se aos nossos sonhos, mas para realizar os Seus. Não é fácil encontrar-se com Jesus e compreender o modo, o tempo e o objetivo de sua vinda. Precisamos vigiar sobre nós mesmos, ter cuidado e examinar a fundo se as nossas esperanças e expectativas, coincidem com o que Jesus nos oferece.

Na escuridão do caos - Deus veio a trazer a sua luz (Gn 1,1-2). Na morte da infertilidade veio a oferecer a Abraão o seu pacto e prometer-lhe descendência como as estrelas do céu (Gn 15).

"Enquanto um profundo silêncio envolvia todas as coisas, e a noite estava no meio do seu curso" (Sb 18,14), Deus veio visitar o seu povo e libertá-lo da escravidão do faraó.

Deus envia SEU FILHO JESUS para iluminar nossas noites: quando estamos no desânimo ,na dor, na depressão,no desespero, na humilhação, no desemprego e no abandono e nos  introduz na sua paz.

Jesus aparece especialmente nesta escuridão que  muitas vezes é produzida  pelos nossos ídolospoder ,  dinheiro , sexo, fofoca , fama, mentira  e em tantos outros valores errados que o mundo nos oferece.

 O ter e o imediatismo desse mundo  também nos impede de viver livremente , nos  tira o sono e faz com que Deus seja tratado como mágico. Perdemos a paciência queremos tudo no nosso tempo e esquecemos do tempo de Deus  

Jesus veio para nos libertar dessas aflições e mostrar que nos ama pelo que somos e não pelo que temos .

Que neste período do Advento - o tempo da preparação para receber Jesus Menino -  nós cristãos possamos ter  a consciência que  - "Os caminhos do Senhor não são os nossos caminhos ". AMÉM!Foto_Pe._Eugenio_Menino_Jesus_Natal   NOS PREPAREMOS PARA RECEBER JESUS!

   

Esse texto foi lido no programa do Eli Correa , na Rádio Capital, no dia 24 de novembro de 2015.

       A reprodução desse texto nas redes socias só poderá ser feita com a citação do NOME DO AUTOR -  Padre Eugenio Maria La Barbera - sob condição de direito autoral.   Supervisão - jornalista Priscilla Aloi - MTB 37027

    Fotos creditar - arquivo Fraternidade Monástica dos Discípulos de Jesus, fmdj e domínio público internet

 

Noticias do Vaticano

News.va