Papa aos carismáticos: rezar e anunciar juntos Jesus Cristo! PDF Imprimir E-mail

Em sua série de audiências, na manhã desta sexta-feira, o Santo Padre recebeu, na Sala Paulo VI, cerca de mil membros da "Fraternidade Católica de Comunidades e Associações da Aliança Carismática", que iniciaram, hoje, seu XVI Congresso Internacional sobre o tema: Louvor e adoração por uma Nova Evangelização”.

A Fraternidade Católica reúne 51 comunidades carismáticas católicas, presentes em 14 países. Não se trata de um movimento eclesial hierarquicamente estruturado, mas de uma federação de comunidades e associações, reconhecidas pelos respectivos Ordinários diocesanos, que, no respeito aos diferentes carismas, contribuem com a edificação da única Igreja de Cristo.

Em seu discurso aos numerosos participantes no Congresso Internacional, o Papa Francisco aprofundou o tema unidade na diversidade. A unidade não é uniformidade e nem pensar do mesmo modo ou perder a própria identidade. Pelo contrário, é reconhecer e aceitar, com alegria, os diversos dons, que o Espírito Santo concede a cada um, e colocá-los a serviço de todos na Igreja.

Unidade na diversidade é também ouvir, aceitar as diferenças, ser livre de pensar diferentemente e manifestar o próprio pensamento livremente, com o devido respeito para com o irmão. E o Papa afirmou: “Todo cristão precisa abrir o seu coração à ação santificadora do Espírito Santo, que muda a nossa vida”.

A seguir, referindo-se ao tema do Congresso Internacional Louvor e adoração por uma Nova Evangelização, o Pontífice explicou:

“O louvor é a inspiração que nos dá a vida porque é a intimidade com Deus, que aumenta com o louvor diário... O cristão não vive sem louvor e sem a missão. Foi a própria Renovação Carismática que lembrou à Igreja a necessidade e a importância da oração de louvor... Além da oração de louvor, a oração de intercessão é, hoje, um grito ao Pai pelos nossos irmãos cristãos perseguidos e assassinados e pela paz no nosso mundo conturbado”.

Por fim, o Bispo de Roma falou da segunda parte do tema do Congresso Internacional: a Nova Evangelização, citando a Exortação do beato Paulo VI sobre a evangelização: “A força da evangelização enfraquece quando seus anunciadores são divididos entre si. O testamento espiritual de Jesus recomenda 'unidade entre seus seguidores', um critério de credibilidade dos cristãos. E falando sobre o destino da evangelização, ligado ao testemunho da unidade da Igreja, o Papa recomendou:

Ecumenismo espiritual, rezar e anunciar juntos que Jesus é o Senhor e juntos ir ao encontro dos pobres, em todas as suas pobrezas. Hoje, o sangue derramado pelos muitos mártires cristãos, nas várias partes do mundo, nos interpela e nos impele à unidade. Pelos perseguidores, nós somos um! Ecumenismo do sangue.”

O Santo Padre concluiu seu discurso aos participantes do Congresso Internacional da Fraternidade Católica resumindo-o com as seguintes palavras: “Busquem a unidade, que é obra do Espírito Santo, e não temam as diversidades. Oração de louvor e missão. Ecumenismo espiritual e ecumenismo de sangue. A unidade do Corpo de Cristo.

No final do seu pronunciamento, o Papa Francisco agradeceu, de modo especial, os jovens músicos, provenientes do norte do Brasil, que o receberam, com tanto carinho, com o canto “Vive Jesus, o Senhor!”.