Escada Espiritual PDF Imprimir E-mail

O símbolo da escada é muito usado na espiritualidade cristã. Pela “escada” subimos até Deus e descemos até aos irmãos. Deus desce até nós e nós subimos até Ele. Vamos meditar sobre os três degraus da vida espiritual, conhecido também como três etapas, três vias da espiritualidade cristã:

1. A via iluminativa:

Consta de muita iluminação interior, abertura para a graça, gosto pela Palavra, pela oração. Aumenta o desejo de santificação, de aquisição de virtudes, e o desejo da contemplação. Há um saborear, degustar, experimentar a presença de Deus e sua ação em nós. Somos tocados pelo amor, amizade, misericórdia de Deus. Fazemos a experiência da admiração, do gosto, da aspiração por Deus, como também fazemos descobertas espirituais, adquirimos conhecimentos novos, sensibilidade pelo mistério. O desejo de servir melhor o próximo, de pregar a Palavra, de transmitir a experiência do amor de Deus, tornam-se mais intensos.

A via iluminativa se caracteriza pela fascinação por Deus, pelo gosto e descobertas místicas. A pessoa tem desejo de entrega e doação de si, de amor à cruz, sensibilidade fraterna, de direção espiritual, de amor ao Espírito Santo com seus dons e frutos. A paz e a serenidade interior, o amor a Maria e aos santos, o estímulo para a oração e para serviço aos irmãos, especialmente aos pobres, são frutos da via iluminativa.

2. A via purgativa:

É a etapa da purificação do coração, do combate ao pecado, da constante conversão. A etapa purgativa, significa limpeza, penitência, noites escuras, provações e chama-se também de ascese. Quer dizer, a subida até Deus, requer o desapego às criaturas, e a descoberta de quem somos nós e de quem é Deus. A via purgativa se caracteriza pela dor, vergonha, arrependimento pelos pecados. Há uma compreensão da gravidade, do perigo, da crueldade do pecado, com o desejo de crescer, melhorar, santificar-se.

A ascese, a via purgativa equivale ao tomar a cruz de cada dia, entrar pela porta estreita, renunciar-se a si mesmo, adquirir sensibilidade espiritual com o desejo de ser livre do mal. Esta purificação atinge o entendimento, a vontade, a memória. Trata-se de ordenar os afetos desordenados, trabalhar o defeito principal, suportar tentações, aceitar provações, adquirir forças para agir contra o que afasta de Deus.

Via purgativa é arrumar a casa, trabalhar o ego profundo, curar feridas. Passa-se por experiências de desânimo, desolação, aridez. É necessário muita oração, leitura e direção espiritual, confissão para que seja extirpada a raiz do mal. Os frutos desta etapa são: o conhecimento de si, aproximação de Deus, amor ao próximo, humildade, crescimento nas virtudes.

3. A via unitiva: 

É chamada de matrimônio espiritual da alma com Deus. Esta união é com a Santíssima Trindade. O silêncio, a solidão, a contemplação marcam a via unitiva, como também, experiência de luz e de obscuridade que leva para mais luz. A união com Deus é transparente, irradiante e simples. A pessoa evita os pecados pequenos, abandona-se confiantemente em Deus e desdobra-se em boas obras e cuidados pelo próximo. As virtudes teologais e morais são vividas com profundidade e inefabilidade. A alma é uma só coisa com Deus, como uma chama de duas velas.

Dom Orlando Brandes

Arcebispo de Londrina (PR)